quinta-feira, 4 de março de 2010

Coisas óbvias

 
Aquele momento era passageiro, como uma nuvem sendo levada pelo vento. Nada dura eternamente, isto é fato. O que mais eu podia esperar? Não pude me preparar para o pior e não posso mudar meu passado, ninguém pode. Queria que pudesse durar para sempre, mas não é possível. Não, não é possível. Nunca foi. E de repente a tua imagem se desmancha no ar, se vai... não vejo mais o teu sorriso, o teu olhar. Fecho os olhos em silêncio e relembro as recordações como se fossem cenas de um filme. As lembranças vêm e vão em minha mente. Não poderia ser pior. Ou poderia, talvez. É como se eu observasse o oceano e tentasse tocar o horizonte com a ponta dos dedos. A gente tenta de todas as formas esquecer, apagar do passado, da memória. O fato das coisas serem tão óbvias me deixa ainda mais angustiada. Distante? Muito pior do que isso. E mais uma vez eu não pude impedir o previsível. Coisas óbvias, essas são sempre as piores.

0 comentários:

Postar um comentário

Comente, a sua opinião é importante pra mim.

Licença Creative Commons
A obra Sinta o Amor foi licenciada com uma Licença Creative Commons - Atribuição - Proibição de Obras Derivadas 3.0 Brasil.