quinta-feira, 29 de julho de 2010

(...)

A gente não se encontrou. A gente se colidiu. Somos um trágico e monumental acidente de trânsito onde tudo faz sentido. Cada barra de aço retorcido que me cutuca por dentro os pulmões quando estou apenas tentando respirar parece ter lá sido colocada por divina providência. O fogo, que encontra uma nova poça de combustível a todo momento, exibe aos transeuntes e curiosos fagulhas de todas as cores, em explosões na forma de cogumelos. Somos o choque. Somos a tragédia, mas sabemos que sem o outro somos meras ruas vazias. Vazias e paralelas. (Lucas Silveira)

7 comentários:

mariano lorenzoni disse...

Nuuusss!

Muito bom!

Naia Mello disse...

Muito bom. Do tipo que você se sente que encontrou a pessoa certa na sua vida.

Catii S. disse...

Profundo ,gostei *-*
PArabéns pelo Blog

Beiijos

http://catieverything.blogspot.com/

contandohistoriasempre disse...

Lindo o texto, e adorei aqui, espero voltar mais vezes! Sucesso com o blog aí!
Se puder, visite o meu também, beijos.
B.

Bruna Guimarães disse...

Putz!
Sem palavras.

Mandy disse...

*---* Muito fofo. Porque nós temos que ficar desse jeito né? =/
Enfim, eu achei lindo.
Beijoos
Mandy

Tyler Durden disse...

Lindo sem palavras msm,

Postar um comentário

Comente, a sua opinião é importante pra mim.

Licença Creative Commons
A obra Sinta o Amor foi licenciada com uma Licença Creative Commons - Atribuição - Proibição de Obras Derivadas 3.0 Brasil.