sexta-feira, 29 de outubro de 2010

Prometi


Você já se sentiu como se não houvesse mais nada a perder? Eu não quero nem pretendo ser alguém  que te serve apenas como consolo nos momentos ruins. Sabe, às vezes eu também preciso ser consolada. Há uns dias atrás eu não conseguiria imaginar você da forma como eu vejo agora. É difícil, tão difícil que o coração pede socorro e está prestes a explodir em lágrimas. Chegamos a um ponto em que  não há mais nada que se possa fazer. Chega uma hora em que precisamos amadurecer. Amadurecer nossos sentimentos e idéias. Você não conseguiu enxergar isto. Não quer me compreender e nem nunca quis. Tantas vezes eu senti vontade de deixar tudo pra trás e esquecer, apenas esquecer. Embora eu não nego que esquecer seria muito dificil. Sempre acreditei em mudanças e passei muito tempo esperando que elas acontecessem. Mas eu cansei. Minhas lágrimas falam por mim. Não vou voltar atrás.  Prometi.

terça-feira, 26 de outubro de 2010

(...)

Não sei, deixo rolar. Vou olhar os caminhos, o que tiver mais coração, eu sigo.

(Caio Fernando Abreu)

sábado, 23 de outubro de 2010

A Cabana

É verdade que os relacionamentos são muito mais complicados do que as regras, mas as regras nunca vão lhe dar as repostas para as questões profundas do coração. E nunca irão amar você.
(Do livro: A Cabana)

quinta-feira, 21 de outubro de 2010

Sobre cortar laços

Fez tanto tempo que os meus olhos não cruzavam com os teus que os meus pés passaram a te procurar, involuntariamente. Eu nunca quis te amar na verdade, embora isto tenha ocorrido de uma forma tão assustadoramente espontânea que eu nem tive tempo de evitar. O pior aconteceu. Tudo vai ficar bem. Eu prometi e repeti mil vezes a mim mesma, embora eu ainda não tenha certeza disto. Estou desatando cada laço formado, mas estes nós são tão firmes e precisos que me dói ter de cortá-los. Estou seguindo. Hoje meus pés precisam encontrar novos caminhos e eu me recuso a me deixar ferir novamente.

quarta-feira, 20 de outubro de 2010

(...)

Eu queria sumir do mundo. Só às vezes.

domingo, 17 de outubro de 2010

(...)


Eu sei que já estava no contrato a tua partida prematura, mas dá pra rasgar?
(Lucas Silveira)

quinta-feira, 14 de outubro de 2010

Não sou mais a mesma


Eu tento repetidamente não demonstrar a falta que você me faz. Tentar nunca é demais. É preciso coragem pra tentar juntar novamente todos os pedaços que restaram do coração. Eles são tão minúsculos que passei a pensar no tamanho da força com que você o atirou no chão. Percebe o estrago que causou? Você se foi e levou todo o meu ar. Eu digo a mim mesma: esqueça. Mas sempre existe algo em meu olhar vazio que denuncia o meu sofrimento. Cansei de dar sempre o primeiro passo e ter que aguardar por uma resposta que nunca chega. Não sou mais aquela garotinha que eu costumava ser, mas ela nunca se foi completamente. Está na hora de respirar novamente.

quarta-feira, 13 de outubro de 2010

O difícil

É difícil sentir duas coisas ao mesmo tempo. Ou sentir a mesma coisa duas vezes ou mais, em duas ocasiões ou mais, por duas pessoas ou mais. (Lucas Silveira)

segunda-feira, 11 de outubro de 2010

Dear John

Mas eu a conheci e é isso que torna minha vida atual tão estranha. Eu me apaixonei por ela enquanto estávamos juntos, e me apaixonei ainda mais nos anos em que ficamos separados. Nossa história tem três partes: um começo, um meio e um fim. Embora seja assim que todas as histórias se desenrolam, ainda não consigo acreditar que a nossa não durará para sempre. Reflito sobre essas coisas, e como sempre, nosso tempo juntos retorna à minha mente. Relembro como tudo começou, pois agora essas memórias são tudo o que me resta.
(Do filme: Dear John.)

sexta-feira, 8 de outubro de 2010

Sobre as canções


 Meu coração quebrou o silêncio, depois de muito tempo. Eu nunca consegui te dizer todas as coisas que sentia, mas isto não significa que eu não as sentia. A verdade é que eu cansei de mentir para mim mesma, fingindo que está tudo bem enquanto meu coração grita de dor. Eu precisava te dizer que eu não posso nem consigo demonstrar felicidade todo o tempo. É inevitável, as vezes, demonstrar um pouco de tristeza. Aprendi, em alguns momentos, a monstrar uma felicidade que não existe, que eu mesma criei, mas a máscara não dura muito tempo. Não sou boa em manter máscaras, esta é a verdade. Sou movida a sentimentos, embora sempre os torne maiores do que realmente são. Sempre foi assim, desde o início e acho difícil ou quase impossível mudar, mesmo que eu queira. Eu sou como uma canção que você ouviu, gostou, mas que esqueceu largada em um CD qualquer e apesar de você não lembrar que eu exista eu ainda estou aqui, como  sempre estive. Entre sofrer ou ser feliz eu escolho esquecer o que me machuca . Não posso mais sofrer, não posso e nem quero.

quarta-feira, 6 de outubro de 2010

Eu não presciso de você

Eu não preciso de você nem pra andar e nem pra ser feliz, 
mas como seria bom andar e ser feliz ao seu lado.  
(Tati Bernardi)

segunda-feira, 4 de outubro de 2010

Pra você que é adolescente

Se você é um adolescente, não viva numa crise crônica de insatisfação. Honre a sua inteligencia, aprenda a fazer muito do pouco e amar aquilo que você tem. Dê mais valor a ao conteúdo do que a embalagem e não fique colocando defeitos em seu corpo. Rebele-se contra o padrão de beleza expresso pela midia. Seja feliz do jeito que você é. A beleza está no os olhos de quem a vê. (Livro: Você é Insubstituível)

domingo, 3 de outubro de 2010

Chegadas e Partidas

Eu sou um aeroporto.

Na verdade, todos nós. Que outro lugar, senão um aeroporto, condensa sob o mesmo teto a alegria do encontro e a tristeza da despedida? Vejo pedaços de mim acima das nuvens, em logradouros distantes, em cidades inóspitas. Recebo, também, de todo lugar, pedaços do mundo que, como ímãs, aplicam-se sobre a minha pele e lá ficam para a posteridade, exibidos por onde passo.

Alguns têm a pista embrenhada entre matas, encoberta por nuvens de chuva, radares desligados ou intencionalmente sabotados. Tem gente que tem medo de avião.

Por medo das partidas, tem gente que não deixa ninguém chegar. São aeroportos fechados. No entanto, a gente só percebe o calor do abraço quando sente a dor de respirar o ar frio da solidão. Você brada aos céus toda sorte de impropérios, mas não percebe que vôo nenhum te encontra no radar.

Eu sou um aeroporto. Chegadas e partidas são a única certeza na minha vida. Meus olhos estão virados pro futuro, focados na estrada que se prostra à minha frente. Encontro em mim, com igual facilidade, motivos para persistência ou para desistência. E continuar pra quê? Continuo com a força do que levo pra vida. O saldo positivo disso tudo é a quantidade de aviões que acolho em meus hangares. Pedaços de histórias que conto pra mim mesmo todo dia, enquanto ergo um tímido sorriso quase que instantâneo de realização.

E você, aeroporto em greve, tá esperando o quê, olhando pra cima?
(Avião não pousa em aeroporto fechado)
(Créditos: Lucas Silveira)

Me + You = We

sexta-feira, 1 de outubro de 2010

Sobre perdoar

Eu nunca fui de me prender ao passado, embora seja difícil pra mim perdoar. Sim, eu admito, sou rancorosa. Mas se a gente guarda mágoas é pra se certificar que nunca mais vamos deixar aquilo acontecer de novo e que aquela pessoa pode um dia voltar a nos magoar. Não estou dizendo que nunca perdoei, mas inconscientemente sempre resta alguns vestígios do ocorrido. Mas enfim, o ser humano é movido a sofrimento e isto nunca muda. Quando você briga com a pessoa que ama o que você faz? Coloca uma música de fossa, se joga na cama e derrama rios de lágrimas, eu sei. Não se sinta infeliz por fazer isto, é natural e completamente aceitável, afinal você tem um coração.

Licença Creative Commons
A obra Sinta o Amor foi licenciada com uma Licença Creative Commons - Atribuição - Proibição de Obras Derivadas 3.0 Brasil.