quinta-feira, 20 de janeiro de 2011

(...)

Por muitos dias, pensei em trocar o meu nome. Acreditava ter havido algum engano durante o meu batismo. "Eu me chamo Angústia" - pensava. Não via sentido em ser chamado de Luz, pois tudo que eu perseguia era a sombra de algo que jamais esteve lá. Acredite, é impossível procurar algo que a gente não sabe o que é. Eu parei de procurar, e te vi sentada ao meu lado na fila de espera por alguma coisa qualquer. Eu procurava alguma coisa que justificasse todas essas palavras que eu cuspo em todas as direções, sobre uma vida que eu sonhava viver. Nada foi em vão. Hoje sei que nem a mais profunda escuridão vai me impedir de enxergar teu rosto, mesmo com os olhos fechados. (Lucas Silveira)

5 comentários:

Natália Munhoz disse...

amo muito esse texto.
Quando li a primeira frase já pensei: é do Lucas *-* os textos dele são perfeitos.

Alucinados por Luan Santana disse...

Olá, adorei seu blog, muito fofo por sinal!
Deixo um convite pra visitar o meu
http://alucinadosporls.blogspot.com/ e segui lo!
beijos e parabéns pela sua criatividade!

Amanda Carolina disse...

ooi flor, tem selinho pra ti la no meu blog.
beeijos.

Fil. disse...

Lucas Silveira? Do Fresno? Ou é pura ignorância minha esse palpite?

Naia Mello disse...

Pois hoje ele aprendeu a lhe dar com essa escuridão. É como se acostumar a viver no escuro.

Postar um comentário

Comente, a sua opinião é importante pra mim.

Licença Creative Commons
A obra Sinta o Amor foi licenciada com uma Licença Creative Commons - Atribuição - Proibição de Obras Derivadas 3.0 Brasil.