segunda-feira, 28 de fevereiro de 2011

Sobre amores e libélulas

Um dia desses estava escorado na janela de um hotel qualquer quando uma libélula pousou a poucos centímetros do meu braço. Na hora, eu não sabia ao certo se aquilo era uma libélula, ou uma cigarra, ou um inseto gigante qualquer. Nunca soube, e os poucos segundos que perdi tentando classificar o bicho foram suficientes para que ele sumisse. Bateu asas e escafedeu-se entre as árvores.

Eu tenho uma ligação especial com libélulas. Foi correndo atrás de uma que eu me estabaquei no chão, fraturando uma costela, perfurando o baço e sofrendo uma hemorragia interna que por pouco não me matou. Tinha cinco anos e, desde então, convivo com uma cicatriz que me atravessa o abdome, lado a lado. Tudo que eu queria era vê-la de perto, justamente para me certificar se o bicho em questão era cigarra, libélula ou “seja-lá-o-que-fosse”.

Se a necessidade de classificar uma libélula me rendeu duas semanas de internação, imagino o que me aconteceria se eu ficasse tentando classificar meus sentimentos. Inclusive, me cansa ver por todo lado gente tentando diferenciar um sentimento do outro. Se é amor, amizade, namoro, rolo, beijo, ficada, passatempo… Não tenho a mínima idéia, e nem quero ter! São inúmeras as espécies de relacionamento e a tentativa de classificar a todo minuto algo que, ás vezes, é simplesmente inclassificável pode resultar em muito mais do que um baço perfurado.

Ás vezes, perdemos a noção de que cada minuto da nossa vida pode ser o derradeiro, de que cada ligação telefônica pode ser a última, bem como aquela pessoa, de quem você ainda não sabe se gosta, pode ser o seu último romance.

O amor é uma libélula que pousa na nossa janela pouquíssimas vezes. Corra atrás da sua libélula, sem medo de se machucar. Viva o seu romance. Viva o seu último romance. (Lucas Silveira)

domingo, 27 de fevereiro de 2011

Espaços Vazios

Já tinha me esquecido do efeito que você causava em mim e a forma como isso me fazia sentir melhor. Eu já perdi o controle sobre isto. Preciso de uma dose de realidade. Logo eu, que sempre mantive os pés no chão perdi o foco assim tão fácil. Essa não sou eu. Perdi muito tempo tentando reformular meus pensamentos. Já passei da fase de sentir medo, hoje o que me atormenta é apenas o sentir. Você acha que me conhece tão bem, mas quando eu coloco a cabeça no travesseiro, todas as noites, eu só penso no quanto você não me compreende. E isso dói, machuca de verdade. Desisti de tentar te fazer entender. O espaço vazio que você deixou ninguém mais é capaz de preencher.

sexta-feira, 25 de fevereiro de 2011

(...)

Eu queria esquecer que tenho um coração,
nem que seja por um segundo. 
Talvez eu consiga. 

quinta-feira, 24 de fevereiro de 2011

Listen

Bem, eu não serei o seu inverno
E eu não serei a desculpa para alguém chorar
E nós podemos ser perdoados, e eu estarei aqui.(...)
(Sister Hazel - Your Winter) Ouça | Baixe

(...)

Eu preciso me lembrar que antes de ter você existia vida.
 E porque não há de existir agora? 

terça-feira, 22 de fevereiro de 2011

Inspire-se

segunda-feira, 21 de fevereiro de 2011

Pra ouvir

(...) Não que eu não queira, sempre eu vou te amar. 
E em cada estação em que não puder estar levo essa saudade 
enquanto não posso te levar.
E no fim desse sufoco, espero contar com a sorte. 
Se ela existe, que só a morte possa nos separar.
(Canto dos Malditos na Terra do Nunca - Sinta vontade de ficar) Ouça | Baixe
(P.S: Adoro a voz de ressaca da vocalista.)

domingo, 20 de fevereiro de 2011

(...)

Quando você se vai só me resta o vazio. 
Eu já perdi o controle sobre isto.

sábado, 19 de fevereiro de 2011

Sinceridades

A parte ruim de um momento feliz é querer revivê-lo, sem poder. De repente você sumiu do meu radar, o teu sinal se apagou no ar. Foi buscando pelos teus sinais perdidos que encontrei pedaços do meu coração, caídos sobre o chão frio.  Loucura é esperar que eles se reconstituam sozinhos. Estranho é esperar que as mudanças surjam do nada. Não posso explicar tudo o que eu sinto, mas sei que isso já faz parte de mim.  Sinto que falta algo. Você não faz nem idéia de tudo que consegue me fazer sentir cada vez que os meus olhos cruzam com os teus, mesmo que por acidente. Meu coração quer me dizer alguma coisa. E quando ele me diz algo, acredite, é verdadeiro. Eu nem preciso te explicar o que isto significa.

quinta-feira, 17 de fevereiro de 2011

Não tão trágico

A gente sai de cena com as roupas rasgadas, bolsos vazios e a mente confusa, sem saber como fomos parar ali. Mas e se pudéssemos jogar todos os livros fora e carregar conosco apenas a página do agora? É tão comum a gente se apegar ao passado e viver numa réplica dele, na ilusão de que estamos andando pra frente… no entanto, se tivéssemos realmente sido felizes no processo, jamais teríamos mudado. Então a gente muda. Mas o problema é que a gente muda sentindo medo demais. A gente navega perto da costa, esquecendo-se de que poderia ser bom perder o horizonte, seguir a vontade da corrente e atracar na próxima ilha. Por mais que ela demore a surgir no infinito, ela é nova, e a gente chegou lá sem bússola.

Era como se estivesse tua imagem estampada em tudo que vejo. E aquela presença permanente no meu pensamento me fez percorrer a extenuante e perigosa trilha que me leva de encontro a ti.

Os minutos que a gente tem juntos viram dias e semanas em câmera lenta, dentro da minha cabeça, toda vez que o elevador desce contigo dentro. Meu coração está vazio, sem mobília. Mas tudo que eu preciso agora é de espaço pra te construir dentro do meu peito, com as poucas peças que tenho em mãos.

Já tive sentimentos imensuráveis. Imensurável também era tudo que vinha agregado ao fato de sentir algo que não cabe no peito. (Lucas Silveira)

terça-feira, 15 de fevereiro de 2011

(...)

O lado ruim de se ter um antigo amor é querer revivê-lo, sem conseguir. 

sábado, 12 de fevereiro de 2011

Sobre o que não é real

Eu ando distraída, sonhando acordada, todos os dias. Um pouco de nostalgia não faz mal a ninguém, mas eu necessito de um pouco de realidade, agora. Eu só queria que você fosse a minha realidade, pelo menos uma vez. O que era distante agora se tornou tão próximo a mim e foi em você que pude encontrar o meu melhor. Reencontrei uma parte em mim que eu julgava esquecida. Hoje percebi que quando se fantasia demais as coisas a realidade já não nos satisfaz. A realidade está longe daqui e eu já me acostumei a perdê-la. Estou mais perto do que eu poderia imaginar. 

sexta-feira, 11 de fevereiro de 2011

Pra ouvir

Começou tudo com um beijo, como foi terminar assim?

Foi apenas um beijo.
(The Killers - Mr. Brightside) Baixe a música | Ouça a música

quarta-feira, 9 de fevereiro de 2011

(...)

Você traz a alegria e a dor, em igual medida.
Alegria, porque tu estás comigo, mas a dor, porque não será por muito tempo.

terça-feira, 8 de fevereiro de 2011

(...)

De nada adianta eu ficar gritando ao quatro cantos que o amor é importante e bla bla bla. 
Eu gostaria que o mundo decidisse por si só. O amor é importante, porra. (Rodrigo Tavares) 

domingo, 6 de fevereiro de 2011

Caminhos incertos

Quando as certezas deixaram de existir percebi o quanto elas podem ser incertas e que por si só não poderiam me trazer tanta segurança como eu imaginava. Por mais que eu tentasse fazê-las durar o tempo suficiente ainda assim existiam pequenas dúvidas que apesar de pequenas eram fortes o suficiente pra derrubar qualquer sentimento, restando o vazio. Passei a caminhar sem direção, sem rumo. Percebi que quando não se enxerga aonde se está indo todos os caminhos parecem ser incertos. Perdemos a conta de quantas vezes caminhamos errado até perceber que isso já não tem mais tanta importância. Essa não foi a primeira nem a última vez que alguém se perdeu buscando o amor. Foi aí que passei a olhar pra dentro de mim, tentando encontrar você. Eu não me canso de procurar.

sexta-feira, 4 de fevereiro de 2011

Amor e outras drogas

"Às vezes as coisas que você mais quer, não acontecem.

E as vezes, as coisas que jamais esperaria acontecem.
Você encontra milhares de pessoas, e nenhuma delas te tocam.
E então encontra uma pessoa e sua vida muda. Para sempre."

(Do filme: Amor e outras drogas)

quinta-feira, 3 de fevereiro de 2011

(...)

E quando as certezas já não existem mais? Elas nunca são eternas.

quarta-feira, 2 de fevereiro de 2011

(...)

E foi com todas minhas paredes que foram 
ao chão que eu construí essa ponte.
(Beeshop)

Let's be happy

Licença Creative Commons
A obra Sinta o Amor foi licenciada com uma Licença Creative Commons - Atribuição - Proibição de Obras Derivadas 3.0 Brasil.