quarta-feira, 30 de março de 2011

O que eu aprendi

O que eu aprendi com o amor? Palavrões novos. 
(Lucas Silveira) 

sábado, 26 de março de 2011

(...)

Eu queria ter te dito como era difícil pra mim me apaixonar. 

sexta-feira, 25 de março de 2011

O resto

Somos só eu, você, e o resto. E lá no lugar de onde eu venho, o resto é resto.
(Beeshop)

quinta-feira, 24 de março de 2011

(...)

Só não queria perder o que sempre foi meu.  

terça-feira, 22 de março de 2011

O sentido das coisas

Existem sentimentos que a gente prefere não sentir, mas por mais que juremos esquecê-los eles permanecem vivos dentro de nós.  Pessoas são sempre pessoas. Nunca mudam. São inseguras, mas não querem que o mundo perceba isto.  Demonstram uma coisa e sentem outra completamente diferente. Não tem explicação. Nunca vai ter. Olhamos pra dentro de nós e percebemos que falta algo, mas não sabemos o quê. Muitas vezes o nosso maior medo é demonstrar o quanto podemos ser sensíveis, frágeis. Até que chega um momento que já não importa. Não importa se demonstramos exatamente o que estamos sentindo, porque não faz mais diferença.  Sufocar os sentimentos não os torna menores.  E no final percebemos que nunca soubemos o que sentimos de verdade.

domingo, 20 de março de 2011

(...)

E eu escrevo um parágrafo e corro pra ver se tem e-mail. E eu escrevo uma linha e corro pra ver se tem mensagem de texto. E eu não escrevo nada e também não corro, apenas deixo você chegar aqui do meu lado, em pensamento. E me pego sorrindo, sozinha. E me pego nem aí para todo o resto. Mas sabe o que acontece enquanto isso? Enquanto eu não me movo porque estou lotada de você e me mover pesa demais? O mundo acontece. O mundo gira. As pessoas importantes assinam contratos, ganham dinheiro. As pessoas simples lutam por um lugar na condução, um lugar no mundo. Estão todos lutando. Estão todos ganhando dinheiro. Estão todos fazendo algo mais importante e mais maduro do que suspirar como uma idiota e só pensar em você. Eu tenho muita inveja dessas pessoas maravilhosas, adultas, evoluídas e espertas que conseguem separar a hora de ir a uma reunião de condomínio com a hora de desejar alguém na escada do condomínio. A hora de marcar o dentista com a hora de engolir alguém. A hora de procurar a palavra "macambúzio" no dicionário com a hora de se perder com as suas palavras que de tão simples parecem complexas. A hora de ser inteira e a hora de catar meus pedaços pelo mundo enquanto você dá sinais desmembrados. Eu não consigo nada disso, eu me embanano toda, misturo tudo, bagunço tudo. A minha única dúvida é se sou a única idiota a fazer isso comigo ou se sou a única idiota a admitir que faço isso comigo. (Tati Bernardi)

sábado, 19 de março de 2011

Sem sentido

É estranho quando tudo parece perder o sentido. Fingimos ser fortes mas por dentro estamos quebrando em mil pedaços. Escondemos nossos sentimentos por medo de sofrer, mas no fim descobrimos que somos mais fortes do que poderíamos imaginar. E suportamos muita coisa. Tratar as pessoas como algo dispensável parece mais fácil do que se mostrar dependente delas. Sim, chegamos a este ponto. Talvez porque sentir o amor seja mais fácil do que vivê-lo. Demonstrar é mais difícil ainda. Temos medo de fechar os olhos e deixar que os nossos sentimentos nos levem a qualquer lugar, apenas por medo de perder a direção. Muitas vezes não estamos prontos para as incertezas, mas o incerto  pode ser a coisa mais concreta e correta que poderíamos ter em mãos. E aquele amontoado de sentimentos nunca nos deixam em paz. Estão sempre ali pra nos lembrar de que somos capazes de sentir. Quando nos perdemos descobrimos que é exatamente lá que deveríamos estar e não há nada que possa mudar isto.

quarta-feira, 16 de março de 2011

(...)

Não que eu seja algo indecifrável, mas a verdade é que é difícil pra qualquer 
um entender todos os momentos em que eu não sou eu mesma.   

terça-feira, 15 de março de 2011

(...)

 Todas as vezes que você perdoa, o universo muda. Cada vez que você estende a mão e toca um coração ou uma vida, o mundo se transforma.
(Do livro: A Cabana)

domingo, 13 de março de 2011

(...)

Pensamentos tão vãos como esses se acabam quando vejo 
o que tu fazes aqui no meu peito toda vez que te vejo.
(Beeshop)

sábado, 12 de março de 2011

Dor e outros sofrimentos

Eu sei que é impossível. Impossível arrancar esse sentimento de mim. Tudo se tornou muito intenso, intenso demais pra suportar. É a tua inconstância que me causa dor. Eu finjo não notar, minto pra mim mesma, todos os dias. Mas quando  penso que estou curada, a dor me faz lembrar de tudo, outra vez. Esquecê-la não significa que ela deixou de existir. Eu queria que você sentisse as coisas da forma como eu sinto. Você entenderia. Lamentável, mas faz sentido. Somos como duas estradas completamente diferentes. Você não se importa com as pedras no caminho e eu perco tanto tempo me desviando delas que esqueço de olhar pra frente. Provavelmente eu sinta tudo com muita intensidade. Tudo que é intenso demais sempre causa uma dor maior. Acredite, eu mais que ninguém tenho certeza disto. Você sempre foi distante demais pra perceber. 

Recíproco

Sigo aguardando o dia em que a tua garganta, de tão rouca, deixe chegar aos teus ouvidos o que para mim fica claro toda vez que teus olhos fecham antes dos meus: é recíproco. (Lucas Silveira)

sexta-feira, 11 de março de 2011

(...)

Pessoas cometem erros, até aquelas que amamos. 
(Do livro: A Última Música - Nicholas Sparks) 

quinta-feira, 10 de março de 2011

Sobre coisas que evaporam

O céu escureceu, mais uma vez. Eu tentei não sentir, mas foi inevitável. Quando me dei conta uma parte de mim havia se evaporado. Eu perdi o chão. Percebi que as vezes fazemos as escolhas erradas, outras vezes apenas enxergamos as coisas do jeito errado. Uma coisa é diferente da outra. Nunca gostei de mudanças. Elas parecem acontecer cada vez mais. É a tua felicidade que te impediu de enxergar a minha tristeza. Ela te cegou, nada consegue tirar isto da minha cabeça e não seria eu quem ia te fazer enxergar o óbvio. 

quarta-feira, 9 de março de 2011

(...)

O amor é uma doença. Eu sinto náuseas, febres, dores musculares. 
Eu acordo assustada no meio da noite. Eu choro à toa.
(Tati Bernardi)

quarta-feira, 2 de março de 2011

Está bem coração, você venceu.

Eu  perco tanto tempo. Tempo que eu não tenho a perder. Você entende quando eu digo que apenas o fato de você existir já é o suficiente pra mim? Que o simples fato de me permitir dormir pensando em você, já é o bastante pra me fazer sonhar contigo todas as noites? Eu fico imaginando o que eu faria caso você sumisse de repente do alcance dos meus olhos. As vezes eu esqueço de como eu cheguei até aqui e da forma como você entrou na minha vida. Eu sinto como se o mundo fosse pequeno demais pra mim. Todo esse sentimento que eu carrego ocupa um lugar imenso. Você chegou fazendo uma reviravolta em minha vida, uma completa revolução nos meus sentimentos. Eu sei, não tenho controle sobre mais nada.  Já chorei muito, mas não por tristeza. Apenas pela dor de sentir em meu coração algo tão forte que eu nem sei quantificar. E a dor de me imaginar perdendo tudo isso é ainda maior. Sensação estranha essa de perceber que não temos controle sobre os nossos próprios sentimentos. Está bem coração, você venceu.

(...)

O amor é o sentimento mais inconstante que existe.

terça-feira, 1 de março de 2011

Pra ler

"O telefone fica mudo, e eu, sozinho." 
(Do livro: Eu sou o mensageiro)

Licença Creative Commons
A obra Sinta o Amor foi licenciada com uma Licença Creative Commons - Atribuição - Proibição de Obras Derivadas 3.0 Brasil.