sábado, 30 de abril de 2011

Chuva Ácida

E eis que a nuvem finalmente tornou-se carregada a ponto de precipitar. No entanto, muita coisa mudou, de quase-um-ano pra cá. Todos os sentimentos ruins de se guardar, toda a angústia e a tristeza, sublimaram, evaporaram e acabaram por contaminar a chuva que hoje cai por sobre a tua cabeça. Se eu sempre guardei todos esses sentimentos para mim, foi justamente porque eram nocivos demais para eu te devolver, mesmo sabendo que foram teus canos que os despejaram em meus rios. No entanto, tudo isso que eu deixei escapar das minhas mãos está, agora, no ar. Cobre a tua cabeça, pois a chuva será forte, será intensa, e será ácida. (Lucas Silveira)

(...)

quarta-feira, 27 de abril de 2011

(...)

O amor é uma droga. Talvez a pior de todas. Ela distorce a nossa visão do mundo. 
(Da série: The Vampire Diaries)

terça-feira, 26 de abril de 2011

(...)

Todos os dias acordo vazia, sem direção. Me perdi. 

domingo, 24 de abril de 2011

(...)

Eu não quero passar perto, arranhar a superfície, bater de raspão.
 (Beeshop)

quinta-feira, 21 de abril de 2011

Viva o seu presente

A gente se apega ao invisível e a tudo aquilo que um dia desejamos possuir. O concreto é totalmente diferente. O tempo passa e agente começa a perceber que nem sempre os planos acabam dando certo, afinal. No entanto ninguém nos diz isto quando começamos a planejálos, nos mínimos detalhes. Precisamos viver mais o presente e deixar o passado pra trás. A perfeição é apenas uma mentira. Por trás de toda essa mentira existe uma vida, a qual vale a pena viver. Viva o presente. Viva o seu presente.

terça-feira, 19 de abril de 2011

(...)

De volta, me deparo com tudo que eu deixei pra trás. E não eram só cartas em cima da mesa.
(Lucas Silveira) 

segunda-feira, 18 de abril de 2011

(...)

Somente as paredes da minha casa são testemunhas do meu sorriso. 
(Beeshop)

sábado, 16 de abril de 2011

Simplesmente Complicado

Não deveríamos nos importar tanto assim com o que sentir. Aquela coisa de não criar expectativas por medo de se arrepender depois. Chega uma hora que isso cansa. Então percebemos que finalmente chegamos ao nosso limite e que certos tipos de sentimentos se prolongam por mais que a gente queira evitar. Percebemos que estáva-mos tão acostumados a fugir desses sentimentos que passamos a fazer isto de forma involuntária. Inconscientemente. E de repente em uma manhã qualquer acordamos com essa vontade louca de sentir aquela dorzinha no peito. Aquela que não nos deixa dormir e que dura tempo suficiente pra não deixar que a gente esqueça que ela existe. Tá longe de ser simples.

quinta-feira, 14 de abril de 2011

(...)

E somente eu sei quanto tempo levei pra te encontrar. E hoje tenho você aqui, comigo.
(Beeshop)

quarta-feira, 13 de abril de 2011

I love Photo

Desejos.

terça-feira, 12 de abril de 2011

(...)

Ninguém nos obriga a sentir as mesmas dores de novo, mas a gente se quebra em mil pedaços para sentir o prazer na cura. (Lucas Silveira)

segunda-feira, 11 de abril de 2011

(...)

Soltei o mundo, pra segurar a sua mão.

domingo, 10 de abril de 2011

Pra ouvir

Eu gosto do seu ponto de vista, então não se intimide, vá em frente.
Você me tinha segurado em outro tempo e lugar (...)
(Kings Of Leon - The Face)  Ouça a música | Baixe a música

quinta-feira, 7 de abril de 2011

Sobre o inesperado

As vezes a gente só tem vontade de fugir de tudo. Correr pra um lugar distante onde ninguém possa nos ferir. Eu já me quebrei em tantos pedaços que nunca mais conseguir juntá-los. Hoje em dia me pego gostando ainda menos de certos sentimentos. Sempre acabamos perdendo tudo mesmo. O passado de vez em quando retorna às nossas mentes pra nos lembrar que nem tudo é como a gente espera que seja. Existem momentos em que deixamos de sentir.  Outras vezes tudo o que a gente queria era sentir algo, mesmo que aquele sentimento não existisse de verdade. Nunca sabemos realmente o que esperar de alguém, e isto não impede que esta pessoa transforme nossa vida de forma significante. Eu não sabia o que deveria esperar, mas continuava esperando. O amor é isto.

terça-feira, 5 de abril de 2011

Caos

Eu nem preciso mais escrever torto, pois tu já distorceste minhas palavras ao teu bel prazer, nessa busca incessante de motivos pra se desligar de mim para todo o sempre. Conseguiste? Acho que sim, visto que deslocaste destinatários de palavras teleguiadas e instauraste o mais próximo do caos que eu pude experimentar. Hoje vi pensando coisas erradas a meu respeito uma das únicas pessoas que eu faço questão de não desapontar. É triste, é irreversível, e foi homologado em primeira instância. (Lucas Silveira)

segunda-feira, 4 de abril de 2011

(...)

Coração, porque você não me obedece? 

domingo, 3 de abril de 2011

Eu sou o mensageiro


A gente sorri, e eu vou embora. Sinto que ela fica me observando, só que eu não olho pra trás. 
(Livro: Eu sou o mensageiro) 

sábado, 2 de abril de 2011

(...)

O que eu posso dizer é que sempre procurei por isso, sempre esperei por isso, sempre escrevi sobre isso, sem saber o que era. (Lucas Silveira)

sexta-feira, 1 de abril de 2011

Frenesi

Acordar e perceber que apesar de sentir falta de algo, você está completa, não há mais nada a procurar e qualquer coisa que você pudesse encontrar poderia estragar tudo. Talvez seja o medo, ou algo pior. São apenas detalhes. Existem sentimentos que desaparecem da mesma forma como surgiram, muito rápido. Não há nada que possa mudar isto. A verdade é que nunca sabemos como lidar com tantos sentimentos. Eles simplesmente se confundem. Ou melhor, nós os confundimos. Muitas vezes enxergamos sentimento onde não tem. As dúvidas sempre nos atraem. O que ontem não parecia fazer o menor sentido, de repente se torna a coisa mais importante do mundo. Pura contradição. A gente pode ter um amontoado de sentimentos, mas sempre estamos à procura de algo maior e mais intenso, como se não bastasse. Aquela coisa de perceber as batidas do coração acelerando, tão intensamente que conseguimos sentir o sangue fluindo nas veias a cada minuto. É isto que fazemos, colecionamos sentimentos. E sentimos.

Licença Creative Commons
A obra Sinta o Amor foi licenciada com uma Licença Creative Commons - Atribuição - Proibição de Obras Derivadas 3.0 Brasil.