quinta-feira, 29 de setembro de 2011

(...)

Você nunca me conheceu como eu conheci você.

segunda-feira, 26 de setembro de 2011

Não quero acordar

Você sabe como é ter o coração partido? É sentir que nada mais em você faz sentido. É olhar pra dentro de si e ver um espaço vazio. Ultimamente eu não tenho conseguido fechar os olhos sem que essa tristeza transpassasse em minha mente. A realidade é diferente do que a gente deseja que seja. Quando percebemos que as coisas não são como a gente esperava o mundo cai aos nossos pés. Eu sempre preferi fugir de coisas que me faziam perder o controle. Por mais sedutora que seja a noite, todo mundo precisa de um lugar pra onde voltar. Não consigo dormir direito e não quero acordar e perceber que tudo mudou. Eu não quero acordar.

sábado, 24 de setembro de 2011

Controle

A gente pensa que tem controle, mas as frases que pensamos e não tivemos coragem de falar nos fazem abrir os olhos pra realidade: nós não temos controle sobre nada.

quarta-feira, 21 de setembro de 2011

(...)

Existe sempre alguma coisa ausente. Acho que a gente tem que vencer. Ou lutar. E ficar bem. Feliz. Criar. Fazer. Se mexer. Vontade que você estivesse aqui e eu pudesse te mostrar muitas coisas, grandes, pequenas, e sem nenhuma importância, algumas. Eu me perguntava até que ponto você era aquilo que eu via em você ou apenas aquilo que eu queria ver em você. Um café e um amor. Quentes, por favor. Coragem, às vezes, é desapego. É parar de se esticar, em vão, para trazer a linha de volta. É aceitar doer inteiro até florir de novo. Não era possível evitar por mais tempo uma onda que crescia, barrando todos os outros gestos e todos os outros pensamentos.A verdade é que ainda hesito em dar um nome àquilo que ficou, depois de tudo. Porque alguma coisa ficou. Então, que seja doce. Repito todas as manhãs, ao abrir as janelas para deixar entrar o sol. Sinto uma falta absurda de você. Ficou um vazio que ninguém preenche. E penso e repenso e trepenso em você aí. Tá tudo bem assim. (Caio Fernando Abreu)

domingo, 18 de setembro de 2011

(...)

Sinto tanto tua falta, que mal sobra espaço pra sentir outra coisa.

sexta-feira, 16 de setembro de 2011

(...)

Mas ainda sofro ao cruzar meus olhos com os teus.

quarta-feira, 14 de setembro de 2011

Sobre o que não pensar

Qualquer outro sentimento que entre no meu coração agora não vai me servir pra nada. E mesmo que eu quisesse, não consiguiria sentir menos. Não sei mais no que pensar quando eu tento não pensar em você. Essa onda de sentimentos não tem tamanho. Sinto que ela vai me derrubar a qualquer momento. Aquela coisa de ter o seu coração preso a alguém de tal forma que acaba perdendo o controle sobre o que sentir. Até que você decide não mais fugir. Deixei de me importar com esses detalhes no momento em que percebi que não tinha mais controle sobre nada. Qualquer outro sentimento que eu pudesse sentir não seria suficiente.  Hoje eu me desafio a pensar em qualquer outra coisa que não esteja relacionada a você. Sempre fui dramática demais, ainda não consegui abrir os olhos pra coisas as quais não quero enxergar. Me faltam palavras, me faltam idéias, mas me sobra essa vontade de sentir o coração explodindo, sem perceber. Droga coração, você venceu de novo.

terça-feira, 13 de setembro de 2011

(...)

Você nunca soube cultivar em mim o amor que você quer.

sábado, 10 de setembro de 2011

(...)

Eu ainda não consegui abrir os olhos 
pra coisas as quais não quero enxergar.

quarta-feira, 7 de setembro de 2011

Sobre sobreviver

E quando você percebe que o sentimento cresceu de uma forma tão grande que já não cabe mais no peito? Sabe  quando você sente seu coração se partir? Aqueles pequenos pedaços que ficam pelo chão não te tornam mais fraco. É com eles que você vai construindo seu escudo. Não é a última nem a primeira vez que isso vai acontecer, acredite. Você não escolhe sentir essa dor, mas é ela que te faz acordar todos os dias em busca de um sentimento melhor. A gente sempre sobrevive, querendo ou não.

terça-feira, 6 de setembro de 2011

(...)

Você não irá a lugar nenhum sem mim.

segunda-feira, 5 de setembro de 2011

(...)

"Se eu deitasse aqui, se eu apenas deitasse aqui
Você deitaria comigo e esqueceria do mundo?"
(Snow Patrol - Chasing Cars) Ouça a música | Baixe a música

sexta-feira, 2 de setembro de 2011

Apnéia

A gente passa a entender o amor quando percebemos que não conseguimos mais viver sem ele. Não se trata só de carência, quando todas as horas do dia não são suficientes pra pensar em alguém. E, às vezes realmente chegamos a acreditar que existe uma parte vazia no nosso coração, que precisa ser preenchida. A parte que nos completa, finalmente. Por mais que tentemos não dá pra controlar. Nos machucamos sem perceber, quando tentamos fugir da felicidade de encontrar alguém que possa segurar nossa mão. Não sabemos o que sentir quando na verdade tudo que a gente precisa é perder o ar por alguns segundos e involuntariamente.

Licença Creative Commons
A obra Sinta o Amor foi licenciada com uma Licença Creative Commons - Atribuição - Proibição de Obras Derivadas 3.0 Brasil.