segunda-feira, 1 de abril de 2013

Sobre padrões


A gente sente. Sente tanto que um dia não consegue mais distinguir cada sentimento que entra no nosso coração. O que é essa estrada tão longa e distante que quase não se consegue enxergar onde termina? Quantas manhãs a gente precisa esperar pra saber que o sol ainda vai nascer? Por que a gente não pode simplesmente ter certeza sobre as coisas? Por que é tão difícil? Se a gente soubesse que um dia tudo chega ao fim, não deixaria escapar nem um segundo sequer. Se a gente soubesse que aquele beijo seria o último faríamos diferente. Essas correntes que nos unem são como nós, difíceis de desatar. Às vezes tenho a impressão de que não vale à pena seguir padrões. Eu só espero que ele saiba o quanto eu o amo, sem que eu tenha que convencê-lo disso a todo instante. E, afinal,  quem liga pra padrões?

4 comentários:

Leni Boenny disse...

O que tento insistentemente, mostrar-lhe que eu o amo, mas impossível. Se não e recíproco não adianta você mover montanhas. Quanto mais vc insiste na causa perdida, mais dói, mais perfura. ;/ Se é seu, volta independente de tudo e todos.

Fran Oliveira disse...

Quem foi que padronizou não é mesmo? Na verdade eu penso que seguir a vontade do coração é sempre o melhor a se fazer depois de bem refletir. O importante é ser feliz.

http://voopassaro.blogspot.com.br/

Anônimo disse...

Estou muito emocionada, ate tou a chorar

Publio Gregorio disse...

pois é mas ao mesmo tempo penso q se realmente é importante pra nos sera q nao vale a pena lutar, ir ate onde a menor esperança nos permite, fazer todo o esforço q temos condiçoes?!...estou disposto a isso mesmo sabendo da atual existe de uma nova figura na vida dela...so ainda nao sei como, sem querer interferir na possivel momentanea felicidade dela...

Postar um comentário

Comente, a sua opinião é importante pra mim.

Licença Creative Commons
A obra Sinta o Amor foi licenciada com uma Licença Creative Commons - Atribuição - Proibição de Obras Derivadas 3.0 Brasil.